500 mil euros para combater a pobreza e exclusão social

O BPI lançou este ano um novo prémio, o Prémio BPI Solidário que pretende apoiar as organizações que combatem a pobreza e a exclusão social. O Impulso Positivo, falou em exclusivo com Filipa Roquette, Diretora de Comunicação e Gestão da Marca do BPI, para ficar a saber tudo sobre um dos prémios mais relevantes dirigidos ao terceiro setor em Portugal.

 

Impulso Positivo (IP): Em que consiste o Prémio BPI Solidário?

Filipa Roquette (FR): O Prémio BPI Solidário é uma iniciativa que o BPI lançou este ano e que visa apoiar projetos que promovam a melhoria das condições de vida das pessoas que se encontram em situação de pobreza e exclusão social. Este Prémio dirige-se aos restantes grupos mais vulneráveis da sociedade não abrangidos pelos Prémios BPI Capacitar e BPI Seniores, lançados em anos anteriores e que pretendem apoiar pessoas com deficiência e idosos. Tal como os outros dois Prémios referidos, o BPI Solidário integra-se na política de responsabilidade social do Banco, atribuindo um valor anual de 500 mil euros a instituições privadas sem fins lucrativos, com sede em Portugal.

 

IP: Depois do BPI Capacitar e do BPI Seniores, o que é que fez o BPI apostar nesta nova vertente?

FR: O Prémio BPI Solidário pretende alargar o âmbito do apoio já concedido com os Prémios BPI Capacitar e BPI Seniores. A pobreza traduz-se na falta de recursos para alcançar as necessidades básicas e torna desigual o acesso ao trabalho, à justiça, à educação, à cultura e à saúde. Quem entra num estado de pobreza, aumenta o risco de exclusão social e precisa de apoio para reconquistar a sua autonomia. Com este Prémio pretendemos distinguir e dar a conhecer o trabalho notável de instituições que, diariamente, lutam pela inclusão social e pela melhoria das condições de vida destas pessoas.

 

IP: Quem se poderá candidatar e o que é preciso fazer para submeter a candidatura?

FR: O Prémio BPI Solidário dirige-se a todas as instituições privadas sem fins lucrativos, com sede em Portugal, que estejam a desenvolver projctos sólidos e inovadores no combate à pobreza e à exclusão social. As candidaturas ao Prémio BPI Solidário decorrerão até dia 29 de Maio em bancobpi.pt e serão avaliadas pela sua qualidade técnica e sustentabilidade.

O valor total dos donativos atribuídos pelo Prémio BPI Solidário será no mínimo de 500 mil euros, a distribuir por prémios até 100 mil euros, podendo existir um primeiro prémio até 200 mil euros.

 

IP: Que tipo de projetos ou que características dos projetos é que o BPI valoriza?

FR: As candidaturas serão avaliadas pela sua qualidade técnica - tendo em linha de conta a relevância, fundamentação e programação dos seus objetivos, a sua abrangência em termos de população-alvo e o caráter inovador da sua abordagem - e pela sua sustentabilidade – sendo valorizadas a experiência e solidez da instituição candidata, bem como a adequabilidade e exequibilidade do projeto em termos da sua aplicação de recursos humanos, materiais e financeiros. Os prémios são atribuídos sob a forma de donativo e sem quaisquer contrapartidas senão a própria execução do projecto.

 

IP: Qual o caminho que o BPI tem percorrido para ir ao encontro das pessoas que mais precisam, ao longo da história?

FR: No âmbito da sua política de responsabilidade social, desde sempre que o BPI tem vindo a apoiar iniciativas da sociedade, sobretudo nos domínios da solidariedade social, cultura, educação e investigação e inovação e empreendedorismo. Apesar da conjuntura, nos últimos 9 anos, o Banco tem contribuído anualmente com um valor médio na ordem dos 4,43 milhões de euros.

Desde 2010, o BPI já doou nas 6 edições do Prémio BPI Capacitar e nas 3 edições do Prémio BPI Seniores, 4,9 milhões de euros e apoiou 182 projetos que visam a melhoria de qualidade de vida de quem mais precisa.

Em 2016 o BPI irá atribuir no mínimo 1 milhão e 500 mil euros a projetos de solidariedade no âmbito dos três Prémios. Com a atribuição deste valor em donativos a instituições privadas sem fim lucrativos, os três Prémios BPI constituem uma das mais relevantes iniciativas de Responsabilidade Social Corporativa em Portugal.