Acertar o rumo para o futuro

Redirecionar talentos de várias áreas com um foco tecnológico numa lógica de criação de emprego é o grande objetivo do Programa Acertar o Rumo. Falámos com Catarina Fonseca para ficar a conhecer melhor este programa promovido iTGROW, em parceria com a Universidade de Coimbra e o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) e que, com sucesso vai já na sua 4ª edição.

 

Impulso Positivo (IP): No que é que consiste o programa Acertar o Rumo?

Catarina Fonseca (CF): O Programa Acertar o Rumo é uma iniciativa que tem como objetivo estimular a qualificação dos profissionais portugueses nas Tecnologias de Informação (TI), redirecionando as competências dos profissionais com curso superior para áreas com maior empregabilidade e ajustando a oferta à procura no mercado de emprego. É um programa de formação intensiva, muito prática e claramente direcionada às necessidades empresariais, ministrado sob forma de curso não conferente de grau pela Universidade de Coimbra e que ao longo das três edições anteriores tem conseguido com sucesso aproximar recursos qualificados dos empregadores.

 

IP: Como surgiu a necessidade de o criar?

CF: O programa pretende responder às necessidades das empresas do sector tecnológico, do nível da contratação e escassez de profissionais qualificados na área de programação informática. Foi face a estas necessidades, que a iTGROW, uma empresa do Grupo Critical Software e do BPI, em parceria com a Universidade de Coimbra e o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), lançaram o Programa de Formação Acertar o Rumo. O programa procura talentos de várias áreas, com formação superior e vontade de redirecionar a sua carreira dando-lhe um foco tecnológico numa lógica de criação de emprego dando resposta à necessidade de recursos qualificados do mercado.

 

IP: A quem se dirige e quais são os objetivos que se pretende que os participantes alcancem?

CF: O Programa ACERTAR O RUMO destina-se a todos os profissionais com curso superior que pretendam redirecionar a sua carreira para a área da informática. O Programa procura desenvolver competências técnicas de programação JAVA em licenciados com dificuldade de encontrar emprego nas suas áreas de formação original, e que revelem as competências adequadas à área das TI. Trata-se de um programa de formação intensiva, rigorosa, acompanhada, prática e dirigida às necessidades empresariais.

 

IP: Qual foi o feedback dos participantes nas edições anteriores?

CF: Os formandos do Programa ACERTAR O RUMO avaliam a sua experiência como muito positiva, sendo que a grande maioria reconhece com Muito Bom a qualidade do curso e a pertinência das tarefas exercidas em contexto de estágio para o seu desenvolvimento profissional na área de IT. 94% dos formandos recomendaria mesmo este programa a um amigo. Alguns destes formandos já partilharam inclusive o seu testemunho na página oficial do concurso.

 

IP: Quais são as metas a curto, médio e longo prazo que se pretende que o Programa alcance?

CF: O grande objetivo do Programa ACERTAR O RUMO é fomentar a empregabilidade direcionando profissionais de áreas com menos oportunidades profissionais para uma área onde há escassez de recursos qualificados. Face ao sucesso das edições anteriores, o Programa Acertar o Rumo está já a lançar a sua 4ª edição com candidaturas abertas até 13 de setembro em www.acertarorumo.pt bem como a estudar formas de escalar o conceito levando aplicando o mesmo Programa noutras cidades portugueses, estabelecendo parcerias com outras universidades.

 

IP: Quais foram os resultados das edições anteriores?

CF: Neste momento, os alunos da 1ª edição já estão contratados e a trabalhar como programadores informáticos tendo-se inserido com sucesso na sua nova área de atuação profissional. A 2ª edição do Programa aproxima-se da reta final, numa altura em que os 20 formandos irão terminar os estágios que desenvolvem há um ano nas empresas aderentes. Estamos muito otimistas relativamente aos resultados de contratação desta edição. A 3ª edição está neste momento na fase de formação, a decorrer na Universidade de Coimbra com 22 formandos, sendo que os alunos que concluam com sucesso esta etapa terão acesso a um estágio profissional numa das empresas aderentes, a iniciar em Setembro 2016.