“Acredito que mudamos o mundo todos os dias”

Em alguma parte do mundo, «neste preciso momento uma pessoa tocou o coração de outra». «Mata saudades de quem sentes saudades» ou «hoje estás muito bonita» são algumas das mensagens que podemos encontrar em postes ou bancos de jardim, espalhadas por várias cidades do mundo. São palavras de Martim Dornellas, criador do ‘Projeto Amelie’ que falou, em exclusivo, ao Impulso Positivo sobre este projeto.

Impulso Positivo (IP): Em que se traduz o ‘Projecto Amelie’?
Martim Dornellas (MD): É um movimento muito simples, que tem como objetivo mudar um bocadinho o dia a dia das pessoas que se cruzam com as mensagens. É tudo muito simples e 'artesanal', não só porque não tenho meios de o fazer de uma forma mais profissional, mas também para que qualquer um o possa reproduzir.

IP: Como nasceu este projeto?
MD: Sempre me inspiraram todo o tipo de projetos que interferissem com o dia a dia das pessoas. Projetos como os ‘abraços grátis’ ou tantos dos Improve Everywhere, que de uma forma simples e sem grandes meios mudassem um pouco quem se cruza com eles e deixassem uma história para contar.

IP: Os primeiros autocolantes, com mensagens, começaram a surgir na Rua do Castilho, em Lisboa. Espalharam-se por todo o país, chegaram a Espanha, a França, ao Brasil e à Argentina. O ‘Projecto Amelie’ conta com mais de 30 mil fãs espalhados pelas redes sociais. As entrevistas para revistas ou na televisão multiplicaram-se. E amanhã? O que é que o ‘Projeto Amelie’ perspetiva para o futuro?
MD: Sinceramente não faço a mais pequena ideia. O projeto anda um bocadinho ao sabor e com a disponibilidade de quem implementa as ações, não tem uma estrutura montada ou um método de implementação. Às vezes sou muito ativo, outras preciso de estar mais sossegado e recatado e não produzo tanto.

IP: O sucesso do ‘Projeto Amelie’ reflete de alguma maneira a forma como as pessoas sentem falta de 'pequenas gentilezas'?
MD: Julgo que o sucesso do Projeto Amelie está mais ligado à sua simplicidade e facilidade de implementação. Qualquer um pode copiar os projetos e implementar no seu universo. Claro que toda a gente gosta de pequenas gentilezas e sabe-nos sempre bem recebê-las, mas do feedback que tenho de toda a gente e pela minha experiência sei que também faz muito bem a quem o implementa.

IP: O uso de palavras como ‘obrigada’, ‘por favor’ ou fazer simples elogios têm sido 'esquecidos' aos poucos?
MD: Acho que não. Hoje em dia temos vidas tão digitais e isoladas que qualquer contacto 'real' começa a ser ainda mais valorizado, e naturalmente isso reflete-se em expressões de agradecimento ou elogios.

IP: É possível mudar o Mundo? Um sorriso pode mudar o Mundo?
MD: Acredito que mudamos o mundo todos os dias, ou que temos capacidade de o fazer todos os dias. A dificuldade está em tomarmos consciência de que pode não ser o mundo inteiro de uma vez, mas mais o nosso mundo, aquele onde nos movimentamos e com que interagirmos.

IP: E porque esta entrevista gira em torno de como a felicidade reside nas pequenas coisas. Podemos saber o que o faria sorrir hoje?
MD: Hoje, especificamente, um abraço apertado que não se desfizesse.

Saiba mais sobre o 'Projeto Amelie' em https://www.facebook.com/ProjectoAmelie/?fref=ts ou em http://projectoamelie.tumblr.com/