Demência em Portugal e na Europa em debate na Gulbenkian

O Projeto 'Cuidar Melhor', a Associação Alzheimer Portugal e a Fundação Calouste Gulbenkian organizam, no dia 19 de outubro, a 3.ª edição do encontro de profissionais ‘Cuidados a Prestar na Demência – uma abordagem prática integrada’.
Este evento destina-se a profissionais tais como, médicos, enfermeiros, psicólogos, fisioterapeutas, psicomotricistas, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais que pretendam aprofundar os seus conhecimentos na área das demências. Este encontro abordará o tema da prestação de cuidados na área das demências, de um ponto de vista prático e integrado. Para o efeito, serão apresentados casos para discussão e realizados três workshops permitirão aos vários profissionais partilhar conhecimento e experiências.
Programa irá contar, entre outros, com os especialistas Jean Georges, Diretor Executivo da Alzheimer Europe, e António Leuschner, Médico Psiquiatra e Presidente do Conselho Nacional de Saúde Mental.
Para Catarina Alvarez, coordenadora do projeto Cuidar Melhor, os profissionais que prestam serviços a pessoas com demência “demonstram um interesse cada vez maior em obter mais informação acerca do tema” desenvolvendo as suas qualificações.
João Carneiro da Silva, Presidente da Direção da Associação Alzheimer Portugal sublinha a importância do projeto ‘Cuidar Melhor’, “para que em Portugal se crie uma rede de apoio aos doentes com demência e aos cuidadores destes”.
O Presidente da Direção da Associação Alzheimer Portugal reafirma a importância de todos os parceiros acrescentando que “são precisos muito mais”. “Um em especial, o Estado, tem de dar um contributo essencial que outros Estados, nomeadamente na Europa já deram – apresentar, pôr à discussão, fazer aprovar e implementar o Plano Nacional para as Demências, que identifique aos portugueses qual a realidade atual, os objetivos a alcançar, o planeamento do que há que fazer, financiamento, quem faz, entidades públicas e privadas”.
Em Portugal estima-se que existam cerca de 182.000 pessoas com demência.