Fundação Inatel inaugura projeto de franchising social

A Fundação Inatel está a ultimar os preparativos para a inauguração, em Maio, do seu novo projeto de franchising social que tem como objetivo ajudar pessoas em situação de desemprego a criarem os seus próprios negócios, com especial ênfase na área da restauração e turismo, sob o selo da instituição. Ao todo serão 132 os desempregados que podem vir a ser ajudados pelo Inatel.

“Este projeto tem em mente fazer com que desempregados e jovens à procura do primeiro emprego consigam uma colocação” no mercado de trabalho disse o representante do franchising social do INATEL, Rui Calarrão, em declarações à Lusa.
Neste projeto, cabe à Fundação a escolha dos locais e equipa-los com os meios necessários, que serão custeados pelos proprietários, e angariar empresas parceiras.

O objetivo, explica aquele responsável, é fazer “com que estas pessoas, que não tinham ocupação e que estavam a receber subsídio de desemprego, possam ajudar a própria sociedade e ajudarem-se a eles próprios” criando o seu negócio.

O primeiro espaço piloto será a Kantina Inatel – Chaminés do Palácio, para cuja gestão concorreram 39 interessados. João Barbas Lopes de 55 anos foi o selecionado para gerir este espaço que restauração localizado no Palácio da Independência, junto ao Rossio em Lisboa, e que abre ao público a 8 de maio. O restaurante irá oferecer menus tipicamente portugueses a preços acessíveis, sendo que todos os pratos disponíveis serão coordenados pelo chefe Hélio Loureiro.

Mais a norte, a cidade do Porto também irá receber um projeto semelhante: a Kantina Inatel – Cidade Ribeirinha, para o qual concorreram 29 pessoas.
Mas este franchising social não se restringe à área da restauração. Em Espinho, por exemplo, será implementado um projeto-piloto das agências de viagens da Fundação, para o qual concorream 64 pessoas.

“Queremos dizer às pessoas que podem contar connosco para uma aposta forte nas suas vidas, têm aqui um apoio”, afirmou o presidente da instituição, Fernando Ribeiro Mendes, esclarecendo que “aqui o protagonista não é a fundação, é o franchisado”.

Prestes a completar o 79º aniversário, ao longo da sua história o Inatel tem vindo a desenvolver inúmeras atividades de cariz social, “adaptando-se aos tempos e às necessidades”, concluiu o seu presidente.