‘Nenhuma criança deve crescer sozinha’ é o alerta das Aldeias SOS

As Aldeias de Crianças SOS lançaram em mais de 60 países, uma campanha que alerta para um “grave problema”. Cerca de 220 milhões de crianças crescem sozinhas, sem os cuidados de uma mãe ou pai.
Os números apresentados pelas Aldeias Crianças SOS são impressionantes. Existem dois mil milhões de crianças em todo o mundo, estimando-se que destas cerca de 220 milhões cresçam sozinhas sem cuidados parentais.
Em 2015, em Portugal foram retiradas 8.600 crianças às suas famílias, mais 130 que no ano anterior. Além destes casos, “milhões de outras crianças em todo o mundo estão em risco de perder os cuidados parentais, devido a fatores de risco como a pobreza (49% dos casos), problemas de saúde de um dos progenitores e outros fatores”, sublinha a organização no comunicado enviado à agência Lusa.
Para combater este “grave problema”, a organização lançou no dia 20 de novembro, Dia Internacional da Convenção dos Direitos da Criança, a campanha internacional “Nenhuma criança deve crescer sozinha”.
As Aldeias de Crianças SOS acreditam que “todas as crianças e jovens necessitam de um ambiente familiar acolhedor e protetor e de uma comunidade de apoio que valorize e potencie os seus talentos e competências, que as respeite enquanto pessoas e que as eduque visando a sua integração social positiva”.
Em 2015, a organização ajudou, nos 134 países onde está presente, mais de 553.000 crianças. Em Portugal, já cresceram mais de 500 pessoas nas três Aldeias SOS, nos últimos 50 anos.
Atualmente, estão acolhidas, em Portugal, cerca de 120 crianças, em 17 casas, entre as quais existem 28 fratrias, e com média de idades de 14 anos.

Veja o video da campanha das Aldeias de Crianças SOS AQUI.