ONU apela ao apoio e investimento no cuidado e educação das meninas de todo o mundo

A Organização das Nações Unidas (ONU) apelou para que se olhe para os 125 milhões de crianças de 10 anos que existem no mundo, em especial para os 60 milhões de meninas que estão “sistematicamente em desvantagem” face aos meninos.
Este foi o apelo deixado pela ONU após a apresentação do estudo sobre o ‘Estado da População Mundial’. A ONU explica que este grupo de 60 milhões, particularmente frágil, tem menos probabilidade de acabar a escolaridade e mais probabilidade de serem forçadas a trabalhar e a serem sujeitas a outras práticas nefastas, tais como a mutilação genital feminina e a prostituição.
Se estas meninas tiverem um futuro de prosperidade a sociedade como um todo será beneficiada. Se as meninas de 10 anos de hoje forem impedidas de atingir o seu potencial e de contribuir para o progresso económico e social das suas comunidades, os objetivos de desenvolvimento sustentável (ODS), definidos no ano passado pela ONU para 2030, não serão alcançados, escrevem os autores do relatório.
Mais de metade destes 60 milhões de meninas vive nos 48 países com piores indicadores na igualdade de género; nove em cada dez vivem em países em desenvolvimento e uma em cada cinco vive num dos países menos desenvolvidos.