Para a Semana a Economia Social vai estar na FIL em peso

É já na próxima semana - dias 19, 20 e 21 - que a FIL, em Lisboa recebe o grande evento dedicado à Economia Social. A expetativa é grande e o Impulso Positivo falou com Marina Calheiros, Gestora do Portugal Economia Social para ficar a saber tudo sobre o evento que espera receber entre 15.000 a 20.000 visitantes.

Impulso Positivo (IP): Como surgiu a ideia de criar o evento Portugal Economia Social?

Marina Calheiros (MC): O Portugal Economia Social é uma iniciativa da Fundação AIP que defende um conjunto de valores que têm na economia social um lugar de eleição, nomeadamente a inovação e o empreendedorismo, a responsabilidade social, a ética empresarial, a solidariedade e o desenvolvimento humano. Uma economia social robusta é também uma dimensão fundamental do crescimento, do desenvolvimento e da competitividade. A Fundação AIP considera a economia social como uma dimensão essencial da economia, sobretudo quando se equaciona conjuntamente as exigências de competitividade com os imperativos da coesão económica, social e territorial, mobilizando uma multiplicidade de atores e com um peso na economia nacional, regional e local bastante expressivo, nomeadamente no que se refere ao PIB e muito particularmente em matéria emprego e no desenvolvimento da solidariedade social. Por todas estas razões a Fundação AIP considerou estratégico a realização de um evento com o objetivo de promover, dinamizar e qualificar  o sector da economia social  como resposta para novos problemas sociais e adequação de serviços às necessidades em prol do desenvolvimento económico e social do país.

 

IP: Quais são os principais objetivos deste evento?

MC: Apresentar e promover projetos económicos e sociais e fomentar a  o desenvolvimento  cooperativo, mostrar produtos e serviços que servem o setor da economia social oferecendo respostas para a satisfação de necessidades sociais. Queremos dinamizar, estimular e apoiar o empreendedorismo dos cidadãos e das organizações, visando o desenvolvimento sustentável e a coesão económica, por via da  estimulação à criação de riqueza. Este será um espaço privilegiado para promover o desenvolvimento local através de respostas às situações,  públicos e regiões mais deficitárias, levando à criação de emprego e ao  estímulo à participação, facilitando assim a promoção da coesão social, através do combate a diferentes formas  de exclusão social e pobreza, estimulando a criação de emprego e  melhorando as condições de empregabilidade. Para além de tudo isto, um dos objetivos do Portugal Economia Social é facilitar a interação entre o primeiro, o segundo e o terceiro setor.

 

IP: Quem e como poderá participar no evento?

MC: O evento tem como áreas temáticas o financiamento, formação e capacitação, desenvolvimento regional, empresas de produtos e serviços para o setor e instituições sociais. Desta forma, poderão participar todos os players destas áreas ou seja empresas e entidades públicas e privadas, organizações de ensino, startups e incubadoras, empreendedores e instituições sociais. Basicamente todos aqueles que estão no setor social ou que, estando a montante ou a jusante o apoiam ou servem, podem e devem participar.

 

IP: De quantas organizações participantes e visitantes estão à espera?

MC: Neste momento temos inscritos cerca de 150 empresas e instituições e, muito embora seja a primeira edição e não tenhamos histórico da adesão, esperamos contar com 15 a 20.000 visitantes.

 

IP: Quais serão as grandes mais-valias do Portugal Economia Social?

MC: Este é o grande evento da economia social que junta todos os players do setor com o objetivo não só de mostrar os seus produtos e serviços como para fazer networking com vista de criar sinergias entre os diferentes agentes. Os participantes têm oportunidade de num espaço único, interagir com o ensino, com entidades locais empresas e empreendedores sociais com vista a dinamizar o sector a  torná-lo mais sustentável.

 

IP: O que é que torna este evento diferente de outros que se têm organizado no âmbito da Economia Social?

MC: Este evento é de âmbito nacional, tem o Alto Patrocínio de Sua Excelência o Senhor Presidente da Republica, o apoio institucional do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social e a parceria de todas as cúpulas das diferentes organizações sociais. Para além disso congrega no mesmo espaço a Mostra e o Fórum de Debate onde durante mais de 60 horas vão estar em discussão várias temáticas de grande interesse para o setor. O Portugal Economia Social é o único evento transversal a todo o setor.