Revista IP 25 - Janeiro/Fevereiro

Índice

04 EDITORIAL

 

09 VIVA VOZ

OPINIÃO

Voluntariado numa organização: um desafio ou um pesadelo?

Por Helena Presas, Centro Social Paroquial do Campo Grande e ENTRAJUDA

FÓRUM

No que é que não se pode falhar quando trabalhamos com voluntários?

Por Carmo Themudo e Filipa Barradas, CASO (CAtólica SOlidária); Acreditar; Paula Guimarães, GRACE; João António Pereira, Federação Nacional de Voluntariado em Saúde

INTERNACIONAL

Voluntariado: um fator diferenciador

Por Sílvia Muñoz, FEAPS

 

16 Capa

ENTREVISTAS

Jorge Mayer, Programa de Voluntariado da EDP

João Afonso, Lisboa Capital Europeia do Voluntariado 2015

 

26 NO CENTRO

Barcelona Capital Europeia do Voluntariado 2014

Phil Boughton, Volunteer Ireland

 

30 EXPERIÊNCIAS

NACIONAIS

GAS’África, Fundação de Serralves, Leigos para o Desenvolvimento, U.DREAM, Pista Mágica, Mundo a Sorrir

INTERNACIONAIS

Points of Light, Obra Social “la Caixa”

 

39 PRÉMIOS & INCENTIVOS

 

44 ARTIGOS TÉCNICOS

Join4Change: capacitar para a gestão voluntariado

Por Teresa Martins e André Azevedo, ISU e Rita Leote, CPV

WINIPSS uma solução única e diferenciadora para a solidariedade social

Por Filipe Pinto, F3M

 

50 FOTOFILANTROPIA


Editorial

Crescer no Voluntariado

Portugal está aquém de muitos países europeus no voluntariado. Em percentagem da população que faz voluntariado e em horas de voluntariado. Mas tem feito muito caminho. Há cada vez mais voluntários, há cada vez mais organizações a reconhecer o valor do trabalho do voluntário e cada vez mais organizações conscientes da necessidade de gerir de forma eficaz os voluntários. Porque os há com competências que são essenciais às organizações, porque os há com muita vontade de serem realmente úteis, porque os há com imenso empenho em se tornarem profissionais no exercício da função de voluntário. Há também empresas em Portugal a apostar de forma muito séria no voluntariado e cidades a investir na promoção do voluntariado de forma muito empenhada.

Nesta edição reparará que escolhemos dar especial destaque ao programa de voluntariado de uma empresa, a EDP. Porque o faz de forma estruturada, com uma estratégia clara e uma aposta na relação com as organizações parceiras, porque aposta na formação dos voluntários, pode servir de inspiração para que outras empresas e organizações se fins lucrativos façam caminho bem feito. Fomos também espreitar Lisboa Capital Europeia do Voluntariado, fizemos uma ponte com Barcelona, e com isto deixamos um apelo a que todos se tornem participantes ativos nesta iniciativa.

Os voluntários podem fazer a diferença em muitas áreas. Por isso é fundamental gerir o voluntariado com qualidade. Nas Artes ou na Saúde, na área Social e Humanitária, na área do Ambiente e muitas outras.

Deixe-se inspirar este ano de 2015!