Revista IP 26 - Março / Abril

Índice

04 EDITORIAL

 

09 VIVA VOZ

OPINIÃO

O Potencial dos Negócios Sociais em Portugal

Por Filipe Santos, Presidente da Comissão Diretiva da Iniciativa Portugal Inovação Social

FÓRUM

Quais os desafios que enfrentam os negócios sociais em Portugal e como podem ser superados?

Por João Araújo, Humanitude; Ana Ai Quintas, Vitamimos; António Bello, Just a Change; Joana Santiago, BIPP

 

INTERNACIONAL

O desabruchar da Inovação Social: abraçar a complexidade

Por Indy Johar, Fiorenza Lipparini, Paola Bergamaschi, Filippo Addari

Young Foundation

 

16 Capa

ENTREVISTAS

Nuno Santos, Associação do Monte Pedral

Helena Gata e Pedro da Silva Carvalho, Alliance for Social Impact Investment (ASII)

 

26 NO CENTRO

IES-Social Business School

FAZ - Ideias de Origem Portuguesa

 

30 EXPERIÊNCIAS

NACIONAIS

Fundação O Século, CDI, Fruta Feia, Reklusa, Lavauto, Speak, Places for All

INTERNACIONAIS

Buy1Give1

 

39 PRÉMIOS & INCENTIVOS

 

44 ARTIGOS TÉCNICOS

O custo da “não mudança”

Por Maria do Carmo Marques Pinto, Presidente Associação para a Economia Cívica Portugal

5 Séculos de “capital” empreendedor e inovador

Por Alexandra Rebelo, Diretora do Departamento de Empreendedorismo e Economia Social da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e Presidente do BIS

 

50 FOTOFILANTROPIA


Editorial

Nascer, construir, crescer

É urgente a necessidade de criar uma base sólida para os negócios sociais crescerem em Portugal. Já foram dados passos muito importantes, mas muita coisa falta ainda fazer, nomeadamente do ponto de vista legislativo.

São algumas as organizações de referência que têm vindo a criar programas específicos para o apoio aos negócios sociais. São cada vez mais as organizações sem fins lucrativos que apostam nos negócios sociais com uma preocupação de sustentabilidade. São também cada vez mais as empresas que querem dar mais sentido àquilo que fazem todos os dias. São cada vez mais os cidadãos que apostam numa boa ideia para resolver os problemas sociais com que se deparam e a que os sistemas “tradicionais” não conseguem dar resposta.

O aparecimento exponencial de negócios sociais é também uma realidade portuguesa, não só "dos outros", e nesta edição da Impulso Positivo decidimos debruçar-nos essencialmente sobre o que se está a passar no nosso país. E é exatamente por causa deste crescimento exponencial que é urgente pensar na base, pensar essencialmente na sustentabilidade do negócio, pois só assim será possível fazer mais e melhor, de uma forma consistente, sem correr o risco de se estar a construir um castelo... de cartas.