Revista IP 29 - Setembro / Outubro

Índice

04 EDITORIAL

 

09 VIVA VOZ

OPINIÃO

Crise Económica e Saúde Mental

Por Filipa Palha

 

FÓRUM

Quais os efeitos da crise na saúde mental dos portugueses?

Por Francisca Magano, UNICEF; Sofia Mexial Alves, Cleanic; José Miguel Caldas de Almeida, Universidade Nova de Lisboa e Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental; Celso Sousa Costa, Clínica Universitária de Psicologia - Universidade Católica Portuguesa

 

INTERNACIONAL

Dez Metas para reduzir o impacto da Depressão nos locais de trabalho da Europa

Por Bill Wilkerson, Mental Health International e European Employer Campaign to Target Depression in the Workplace

 

16 Capa

ENTREVISTAS

Gabriel Ivbijaro, World Federation for Mental Health

Benedetto Saraceno, Plataforma de Saúde Mental Global

 

26 NO CENTRO

Anti-bullying

Mental Health Innovations Network (MHIN).

 

30 EXPERIÊNCIAS

NACIONAIS

Associação Alzheimer Portugal, Cuidar de Quem Cuida, Par - Respostas Sociais, INtegra

INTERNACIONAIS

Rethink Mental Illness, BITC, SANE

 

39 PRÉMIOS & INCENTIVOS

 

44 ARTIGOS TÉCNICOS

A crise e a saúde psicológica dos portugueses

Por Telmo Mourinho Baptista

Investimento social: a temática que junta Portugal aos países do G8

Por Rita Casimiro e António Miguel

 

50 FOTOFILANTROPIA


Editorial

Esquecemo-nos que a mente é parte de nós

Como é possível que uma parte de nós que tanto nos define seja esquecida na hora de tratarmos da nossa saúde.

Não nos esquecemos de um braço (e temos dois!), de um pé, de uma orelha… raras vezes nos esquecemos de alguma dor ou desordem. Mas esquecemo-nos da mente.

Por outro lado, por muito que ainda não seja perfeito, já conseguimos ultrapassar o facto de alguém ter um defeito no braço, no pé ou na orelha. Mas não conseguimos ultrapassar a barreira que nos afasta de alguém que tem um problema de saúde mental.

Escolhemos ignorar. Ignoramos a nossa saúde mental e a dos outros. Enquanto indivíduos e enquanto sociedade.

Este número do Impulso Positivo quis dar voz ao movimento global que luta para que a saúde mental, não seja ignorada, seja cuidada. Quis dar voz à luta contra o estigma que faz de nós menos humanos.

Não podemos baixar os braços. Não nos podemos esquecer que, acima de tudo, a Dignidade de cada um, não pode morrer antes de nós.

 

Leonor A. Rodrigues

Gestora de Projeto