Ser uma Entidade Familiarmente Responsável no 3º Setor em Portugal

 

Recentemente a Dianova Portugal foi distinguida com a certificação Entidade Familiarmente Responsável – EFR Economia Social, promovida pela Fundación másfamília. O Impulso Positivo, falou com Marta Santos, Gestora de Pessoas da Dianova Portugal, para conhecer o trabalho de excelência desenvolvido nesta área pela organização.

 

IP News: Recentemente, foi atribuída à Dianova, pela Fundación másfamília a certificação como Entidade Familiarmente Responsável  – EFR Economia Social. No que é que consiste esta certificação?

Marta Santos (MS): A certificação EFR (Entidade Familiarmente Responsável) é uma certificação promovida pela fundación másfamilia, para dar resposta ao atual contexto sociolaboral, cada vez mais marcado pela flexibilidade e pelas necessidades de conciliação e que tem por objetivo apresentar uma metodologia simples e eficaz de gerir os processos de conciliação nas organizações. Concretamente a certificação EFR Economia Social destina-se a Organizações do Terceiro Sector | Economia Social e Solidária, tendo a Dianova sido a primeira organização social a ser atribuída esta marca.

 

IP News: Quais foram os motivos que levaram à atribuição desta chancela?

MS: Esta nova certificação é o corolário a nível do Capital Humano da nossa aposta nas políticas, processos, boas práticas nacionais e internacionais e resultados alcançados a nível da Gestão de Pessoas e Cultura Organizacional.


IP News: Esta chancela foi concedida na sequência da implementação do Plano de Igualdade e de Conciliação Dianova entre 2011 e 2012. No que é que este consiste?

MS: O Plano para a Igualdade e Conciliação da Dianova caracteriza-se por um conjunto de medidas específicas, com vista à melhoria na perspetiva não só de género mas também de oportunidades e de tratamento. A conceção deste Plano, obedeceu a duas etapas fundamentais:

(1) Constituição de um Comité para a Igualdade e Conciliação e designação das suas competências: constituído por um membro da Direção e pela Responsável pela Gestão de Pessoas; tem como competências básicas a promoção e supervisão do cumprimento da Política de igualdade, a identificação de áreas de atuação prioritárias, a definição e implementação de iniciativas no âmbito da igualdade e conciliação bem como a monitorização e avaliação do Plano de Igualdade e Conciliação;

(2) Diagnóstico Organizacional, para apreender a realidade em matéria de igualdade e conciliação existente na Dianova.

O Plano encontra-se estruturado em 9 áreas de intervenção (Estratégia, Missão e Valores, Recrutamento e Seleção, Aprendizagem ao Longo da Vida, Gestão de Carreiras, Diálogo Social e Participação dos Trabalhadores, Respeito pela Dignidade Humana, Comunicação e Linguagem, Conciliação entre a Vida Familiar e Profissional e Maternidade e Paternidade)  concretizadas num conjunto de ações, tais como a implementação de um sistema de avaliação de competências, a criação de manuais sobre o uso de uma linguagem inclusiva ou de direitos parentais, ou a inclusão de cções de formação em igualdade de género e não discriminação no Plano de Formação Anual, às quais se associaram indicadores de resultado, bem como a responsabilidade pela sua execução.

Este plano estará sujeito a monitorização e acompanhamento, através da análise dos indicadores associados a cada ação e será objeto de avaliação anual. Com base nos resultados obtidos, e após análise da situação atual em matéria de igualdade e conciliação, serão definidas novas medidas a implementar.

 

IP News: Que repercussões a Dianova espera que esta certificação venha a ter no trabalho futuro?
MS: Como entidade da economia social e solidária é nosso objetivo contribuir para uma sociedade mais justa, aumentando o bem-estar, a qualidade de vida, a produtividade e a motivação dos/as nossos/as colaboradores/as, com impacto positivo nos/as beneficiários/as dos nossos programas, atividades e serviços, bem como da comunidade em geral. Com esta certificação vemos reconhecido o nosso trabalho e o nosso esforço neste sentido.

 

IP News: Quantas organizações estão certificadas com esta chancela em Portugal?

MS: A Dianova Portugal é a primeira entidade portuguesa com a certificação EFR Economia Social. No entanto, existem em Portugal mais seis entidades (Empresas) com a certificação EFR, nos mais variados setores de atividade, nomeadamente, banca, energia, farmacêutica, educação e consultoria.


IP News: Que mais-valias poderiam advir se mais organizações do 3º setor se preocupassem com a implementação desta dimensão estratégica de desenvolvimento e cultura organizacionais?

MS: As Organizações do Terceiro Sector trabalham para a criação de valor social e impacto do mesmo a médio e longo prazo na(s) comunidade(s). Mas tal só será possível se as pessoas que nelas trabalham estiverem comprometidas e motivadas com as suas Visões e Missões. Sendo que o sucesso das Organizações depende, em grande medida, das suas Pessoas e Talentos, o facto de se desenvolverem estratégias e medidas de conciliação nas Organizações faz com que os profissionais que nelas trabalham se sintam mais motivados e consequentemente mais produtivos, e, assim, contribuir para a transformação social da comunidade.