Sociedade | Quer ser voluntário? Talvez o possamos ajudar

Introduza o seu e-mail

Quer ser voluntário? Talvez o possamos ajudar

29/02/2020 | Fernanda Cerqueira

A alegria de colocar o seu tempo e o seu talento ao serviço da sociedade. FOTO UNSPLASH A alegria de colocar o seu tempo e o seu talento ao serviço da sociedade. FOTO UNSPLASH

O voluntariado é talvez uma das formas mais interessantes de participação cívica, mas vai exigir-lhe tempo e dedicação. Pelo que o ponto de partida será sempre avaliar a sua motivação e disponibilidade. Nesta equação conte também com o seu talento. Afinal a sua participação será muito mais positiva se esta for no âmbito de uma atividade com a qual se identifica.

A lei define voluntário como alguém que, de forma livre, desinteressada e responsável, se compromete – de acordo com as suas aptidões próprias e no seu tempo livre – a realizar ações de voluntariado no âmbito de uma organização promotora.

Encontrar o seu lugar

De norte a sul do país existem inúmeras oportunidades de voluntariado.

Um bom começou é visitar a página da Bolsa do Voluntariado, um ponto de encontro entre a procura e oferta de trabalho voluntário.  Aqui encontrará várias organizações e empresas que precisam da sua ajuda e dos seus talentos.

Em alternativa à Bolsa do Voluntariado pode também consultar o site do Portugal Voluntário. Sistematiza a informação relativa à oferta e à procura do voluntariado, em todos os domínios de atividade, mediante a inscrição de organizações promotoras e de voluntários e a submissão de ações de voluntariado.

No caso de querer ter uma experiência de voluntariado além fronteiras, poderá pesquisar oportunidades European Voluntary Service, na Plataforma Portuguesa das Organizações Não-governamentais para o Desenvolvimento ou em organismos transnacionais como as Nações Unidas.

O que diz a lei…

... sobre os direitos dos voluntários?

- Desenvolver um trabalho de acordo com os seus conhecimentos, experiências e motivações;

- Ter acesso a programas de formação inicial e contínua;

- Receber apoio no desempenho do seu trabalho com acompanhamento e avaliação técnica;

- Estar coberto pelos riscos a que está sujeito e dos prejuízos que pode provocar a terceiros no exercício da sua atividade;

- Ter ambiente de trabalho favorável e em condições de higiene e segurança;

- Participar nas decisões que dizem respeito ao seu trabalho;

- Ser reconhecido/a pelo trabalho que desenvolve com acreditação e certificação;

- Estabelecer com a organização promotora um programa de voluntariado, que regule os termos e condições do trabalho que vai realizar.

... e sobre os deveres do voluntário?

- Observar os princípios e normas inerentes à atividade, em função dos domínios em que se insere;

- Conhecer e respeitar os estatutos e funcionamento da organização, bem como as normas dos respetivos programas e projetos;

- Atuar de forma diligente, isenta e solidária;

- Zelar pela boa utilização dos bens e meios postos ao seu dispor;

- Participar em programas de formação para um melhor desempenho do seu trabalho;

- Dirimir conflitos no exercício do seu trabalho de voluntário/a;

- Garantir a regularidade do exercício do trabalho voluntário;

- Não assumir o papel de representante da organização sem seu conhecimento ou prévia autorização;

- Utilizar devidamente a identificação como voluntário/a no exercício da sua atividade;

- Informar a organização promotora com a maior antecedência possível sempre que pretenda interromper ou cessar o trabalho voluntário.