Será o colesterol o vilão? | Saúde e Bem Estar

Introduza o seu e-mail

Será o colesterol o vilão?

22/10/2021 | Fernanda Cerqueira

As diferenças entre o colesterol 'bom' e o colesterol 'mau'. FOTO UNSPLASH As diferenças entre o colesterol 'bom' e o colesterol 'mau'. FOTO UNSPLASH

Quando o tema é colesterol soam automaticamente os alarmes ‘risco para a saúde’. Mas, o colesterol não é necessariamente mau. De acordo com a Fundação Portuguesa de Cardiologia «o colesterol é uma gordura muitas vezes vista como prejudicial e que ameaça a boa saúde do sistema cardiovascular. A verdade é que tal só acontece se o colesterol se encontrar em níveis elevados no organismo, pois em níveis aceitáveis o colesterol é uma substância essencial e benéfica para o seu correto funcionamento.». 

Importa perceber que há dois tipos de colesterol: o LDL, que é o “mau colesterol”, e o HDL, que é o “bom colesterol”. 

O LDL transporta o colesterol do fígado para os tecidos onde este poderá ser utilizado. 

O HDL é responsável pela remoção do colesterol em excesso do sangue e do que se encontra depositado nas artérias, transportando de volta para o fígado, onde posteriormente é eliminado. «Funcionam como “agentes de limpeza” do organismo no que toca ao colesterol e são comummente chamadas de “bom colesterol”». 

O problema verifica-se quando o LDL está em excesso. «Quando o colesterol total e o colesterol LDL se encontram elevados, aumenta o risco da sua deposição na parede dos vasos sanguíneos, desencadeando um processo inflamatório que tende a aumentar a deposição de mais colesterol e mais substâncias circulantes nesse local. A este processo dá-se o nome de aterosclerose. A aterosclerose está na origem de vários problemas cardiovasculares, tais como hipertensão, insuficiência cardíaca, angina de peito, enfarte agudo do miocárdio, acidente vascular cerebral e trombo (…)». 

Quer as LDL quer as HDL «são necessárias, mas em quantidades adequadas». A Fundação Portuguesa de Cardiologia considera que «os valores de LDL são considerados adequados quando são inferiores a 115mg/dl, enquanto que os valores de HDL devem ser superiores a 35mg/dl nos homens ou 45mg/dl nas mulheres para que desempenhem um efeito protetor a nível cardiovascular. Os níveis de colesterol total devem situar-se abaixo de 190mg/dl. Para doentes de risco (com patologias cardiovasculares, diabetes ou insuficiência renal) os valores de LDL, HDL e colesterol total mudam para 100mg/dl, 40mg/dl e 175mg/dl, respetivamente.». 

À mesa com moderação 

Praticar exercício físico com regularidade e uma dieta equilibrada são a base para alcançar níveis de colesterol dentro dos desejados. 

No que toca à alimentação, os responsáveis pelo aumento do mau colesterol são, sobretudo, as gorduras saturadas muito presentes em alimentos de origem animal, designadamente, a carne e derivados (chouriço, morcela), mas também em laticínios. Acrescem os produtos de pastelaria e confeitaria, juntamente com os produtos processados tais como bolachas, chocolates, snacks doces e salgados, molhos e produtos de fast food (pizzas, hambúrgueres).

Inversamente, há um conjunto de alimentos que são verdadeiros aliados para manter os níveis ideias de colesterol. É o caso dos vegetais e da fruta, cujo consumo deve privilegiar. Aumente o consumo semanal de peixes gordos e diminua o consumo de carne. Quando opte por fazer uma refeição de carne, prefira as carnes brancas, retirando sempre a pele a toda a gordura visível. Prefira azeite e cremes vegetais em detrimento do óleo e da manteiga. Inclua na sua alimentação sementes, frutos oleaginosos e leguminosas. 

Fonte: 
Alimentação e colesterol, da Fundação Portuguesa de Cardiologia