Sociedade | Todos temos os mesmos direitos à vida e à saúde

Introduza o seu e-mail

Todos temos os mesmos direitos à vida e à saúde

03/05/2020 | Fernanda Cerqueira

António Guterres, Secretário-Geral da Organização das Nações Unidas. FOTO: ONU/Genebra António Guterres, Secretário-Geral da Organização das Nações Unidas. FOTO: ONU/Genebra

«Como sénior e com responsabilidade por uma mãe ainda mais sénior, estou profundamente preocupado com a pandemia a nível pessoal e com os seus efeitos nas nossas comunidades e sociedades», afirmou António Guterres, aos 71 anos e na condução da ONU desde 2017.

Neste contexto, o Secretário-Geral da ONU publicou um relatório sobre o impacto da pandemia nos seniores e que inclui um resumo de políticas com análises e recomendações para enfrentar os desafios atuais. O relatório publicado, a 1 de maio, apresenta quatro mensagens principais e que António Guterres resume a uma ideia fundamental «a nossa resposta à Covid-19 deve respeitar os direitos e a dignidade dos seniores».

Primeiro, nenhuma pessoa, jovem ou sénior, é dispensável. Os seniores têm os mesmos direitos à vida e à saúde que todos os outros. Para António Guterres, «as decisões difíceis em torno dos cuidados médicos que salvam vidas devem respeitar os direitos humanos e a dignidade de todos».

Segundo, embora o distanciamento físico seja crucial, não se pode esquecer que o mundo é uma comunidade e que todos estão ligados. António Guterres pede por isso mais apoios sociais e uma aproximação dos seniores à tecnologia digital, permitindo colmatar as situações de isolamento.

Em terceiro lugar, todas as respostas sociais, económicas e humanitárias devem ter em consideração as necessidades dos seniores, desde o acesso à saúde, à proteção social, ao trabalho decente e às pensões.

Por fim, em quarto lugar, o Secretário-Geral da ONU refere que o mundo não deve «tratar as pessoas mais seniores como invisíveis ou impotentes». Muitos seniores continuam a trabalhar, têm vidas familiares ativas e cuidam dos seus familiares. Nas palavras de António Guterres «as suas vozes de liderança contam».

Sobre os próximos meses, talvez anos, António Guterres considera que, para superar a pandemia, o mundo precisa «de uma onda de solidariedade global e das contribuições de todos os membros da sociedade, incluindo os seniores».

Pode aceder à declaração completa do Secretário-Geral da ONU AQUI