Sociedade | Uma vida anti-ageing

Introduza o seu e-mail

Uma vida anti-ageing

10/04/2020 | Inês Barroso e José Guimarães,

Foto: Pau Storch Foto: Pau Storch

Reflexo de uma sociedade que, apesar das contrariedades, vive de conquistas e esperanças renovadas, Inês Barroso e José Guimarães, ambos com 45 anos e, no caso de Inês, já com dois filhos, não se prenderam a preconceitos e, dando ouvidos ao coração, resolveram casar.

Juntos há mais de cinco anos e casados há ano e meio, são apaixonados um pelo outro e por um estilo de vida tão saudável quanto possível, que passa pelo cuidado com o corpo, através da atividade física regular e de uma alimentação saudável, mas principalmente pelo cuidado com a sua saúde de uma forma geral e dinâmica.

Inesperado para ambos

Inês e José surgiram na vida um do outro de forma inesperada, numa idade mais tardia, mas que nunca lhes pareceu tarde de mais.

Depois de um casamento de 13 anos, Inês divorciou-se e focou-se em si e nos seus filhos. “Foi uma separação pacífica e hoje somos amigos”, refere sobre a relação com o ex-marido. Já com os filhos mais autónomos, Inês começou a pensar na sua saúde e experimentou começar a correr. Na altura, a conselho de um amigo, começou a seguir o blogue “De Sedentário a Maratonista”, já que este era sobre o caminho de alguém que um dia tinha decidido abandonar a vida sedentária e adotar um estilo de vida saudável, através da prática de atividade física e corrida. O autor desse blogue era José.

“O universo pode ter-nos juntado através do desporto, mas o clique deu-se no primeiro abraço”, conta José Guimarães. “A primeira vez que combinámos ir correr, ficámos a manhã toda a conversar”, atalha ainda José. E a partir daí, a vida desenrolou-se de forma natural, sem grandes planos, mas sempre certos do que ambos pretendiam para si próprios e de um para o outro.

Com a experiência acumulada de quem já sabe o que quer, as energias fluíram e a vida foi fazendo com que o casal se sentisse cada vez mais unido. “Muitas vezes dizemos, meio a brincar, meio a sério, que talvez nos tenhamos conhecido na altura certa da vida. Com esta idade tendemos a dar mais valor a coisas que, se calhar, em outros tempos pareciam ter outra importância”. José não tem filhos, mas não considera que isso alguma vez tivesse sido um problema.

Casal apaixonado, também pelo desporto

Ao encontro de duas almas apaixonadas, aliou-se uma outra paixão: a do desporto. “Despertei tarde para a importância da saúde e da preocupação comigo. Assim, por volta dos 38 anos comecei a fazer desporto e hoje levo de uma forma rigorosa essa prática e o cuidado com a alimentação”, explica Inês.

O casal assume-se apaixonado pelo desporto, porque isso também os une e lhes traz saúde. José explica que, apesar de ter tido a sorte dos seus pais o terem colocado a praticar desporto em criança, teve uma longa fase da vida em que foi sedentário, e que só bem mais tarde descobriu a atividade física. “Trabalhei sempre na área de marketing [ainda hoje tem no marketing digital a sua atividade principal] e passava muitas horas no trabalho, ao computador, dormindo pouco, alimentando-me mal. Um dia a coisa bateu no fundo. Como sempre tive o gosto por estar junto da natureza, o que me passou pela cabeça foi ir para a praia correr. Depois a corrida tornou-se viciante”.

Como praticante, José indica que “na corrida, quando a pessoa se dá bem logo de início, a curva de evolução é rapidíssima. Depois vem o vício”. Maratonas, trilhos, ultramaratonas de mais de 100 km, passando pelas montanhas, a evolução de José culminou no trail running e no triatlo e Ironman, acumulando hoje, com as várias outras atividades profissionais, a profissão de personal trainer, depois de há dois anos ter optado por voltar a estudar. “Graças ao blogue, comecei a ter solicitações de algumas pessoas que queriam treinar, e achei que o devia fazer com uma base académica adequada”, explica José, que atualmente também é técnico de exercício físico, ou personal trainer.

Vida anti-ageing

No desenrolar do processo de mudança e de novos hábitos, Inês e José adotaram um estilo de vida anti-ageing. “Procurámos ajuda médica para conhecer ao detalhe o nosso perfil metabólico e enveredar por um caminho que nos vai permitir envelhecer bem. Esse é o nosso objetivo”, refere Inês. E a base de partida é boa, diga-se. Inês e José abrem o jogo e confessam-nos que a sua idade metabólica é de 26 e 27 anos, respetivamente. Isto aos 45 anos de idade.

Além da adoção de um estilo de vida ativo e de hábitos saudáveis no dia a dia, aconselham ainda a quem está a entrar na faixa etária dos 50+, a trabalhar e a manter ativos os seus círculos sociais. “Está provado cientificamente que somos mais saudáveis se nos fizermos rodear pelas pessoas que nos fazem felizes”, diz José. “E além dos amigos, não devemos fechar a porta ao amor sincero e incondicional. Acredito que a minha velhice vai ser muito melhor por tê-lo ao meu lado”, sorri Inês.