Saúde e Bem Estar | A Longevidade e os fatores de risco

Introduza o seu e-mail

A Longevidade e os fatores de risco

23/04/2020 | Sofia Alçada

Longevidade e os fatores de risco - Foto: Unsplash Longevidade e os fatores de risco - Foto: Unsplash

Foram analisados por uma equipa de cientistas japoneses da Universidade de Osaka os dados clínicos e genéticos de cerca de 700 mil pessoas para compreender quais são os grandes fatores de risco que estão a reduzir a longevidade da geração atual.

Do resultado, foi possível perceber que os grandes fatores que reduzem a longevidade estão relacionados com a propensão genética para a hipertensão arterial ou pressão alta e para a obesidade. Estes são os 2 grandes fatores que fazem reduzir a longevidade bem como a qualidade de vida.

Em comunicado a imprensa, é referido por um dos autores que o objetivo de base ao realizar este estudo é o de poder usar estas informações genéticas para descobrir fatores de risco que podem ter maior impacto na saúde conseguindo de alguma forma influenciar os resultados para diminuir esses riscos ao nível da população mundial.

Foram analisados dados de 700 mil indivíduos de três países distintos: Japão, Finlândia e Reino Unido. Foi calculado o chamado risco poligénico, que é a estimativa genética de um individuo para a predisposição de vir a sofrer de determinadas doenças.

As conclusões do estudo para a maior Longevidade

Em conclusão, os cientistas apuraram que a hipertensão arterial assim como a obesidade eram dois dos fatores que realmente influenciavam os anos de vida efetivos e saudáveis da geração atual. Os resultados mostraram no entanto que no caso da propensão para a pressão alta, os resultados são sensivelmente iguais nos três países analisados quanto a diminuição da expetativa de vida. No caso da obesidade, o facto curioso, é que isso não se passava de igual forma. O impacto da maior propensão para a obesidade era mais significativo nos dois países europeus estudados, o Reino Unido e a Finlândia, do que no Japão. 

"São resultados impressionantes que mostram como a genética pode ajudar a prever e combater os riscos de saúde", refere Okada, um dos investigadores do estudo aqui referido. "Os dados que recolhemos podem servir para identificar certos aspetos genéticos com o objetivo de identificar os fatores de risco e as mudanças orientadores do estilo de vida e do tratamento médico".

Saiba qual é um dos alimentos que ajuda a melhorar a sua longevidade.

Mais um estudo que vem comprovar o impacto da nossa genética bem como dos nossos estilos de vida para a nossa longevidade e envelhecimento saudável. Não fique indiferente a estas conclusões. Cuide de si e da sua saúde.

Vamos dar vida aos anos e que essa vida seja realmente de qualidade!