Sociedade | Blue Zone: Como chegar aos 100 anos?

Introduza o seu e-mail

Blue Zone: Como chegar aos 100 anos?

12/08/2020 | Sofia Alçada

Como viver até aos 100 anos - Dicas da comunidade de longevos  Foto: Unsplash Como viver até aos 100 anos - Dicas da comunidade de longevos Foto: Unsplash

Tim Lebens é o médico que analisou o estilo de vida das pessoas longevas para perceber que práticas tinham em comum que permitisse viver mais e melhor, identificando as “Blue Zone”.  

 

Longevidade: quais são as Blue zones?

- Região de Okinawa, no Japão;

- Icaria, na Grécia;

- Sardenha, na Itália;

- Nicoya, na Costa Rica;

- Loma Linda, nos Estados Unidos.

E como já referimos, nestas pequenas comunidades, há um grupo de pessoas que ultrapassam a expectativa média de vida.

 

Que estilo de vida têm estas pessoas?

Tim Lebens analisou então, o que tinham em comum estes habitantes que lhe permitiam ter esta enorme longevidade. Percebeu que o segredo não estava apenas nos hábitos saudáveis com base numa dieta alimentar, mas que deveríamos ir bem mais além, pondo em prática e exercitando outras áreas associadas às:

  • relações sociais,
  • aos estímulos mentais e
  • aos exercícios físicos

 

8 ações para conquistar uma maior longevidade:

Resumiu assim em oito boas práticas, que servem de receita para que possamos ter uma vida de maior e melhor longevidade. Aqui vão elas:

 

1 – Relações sociais:

De acordo com o especialista, somos seres sociais, e por isso é muito importante mantermos as relações estreitas e intergeracionais.

Atualmente, dada a vida acelerada que vivemos mutas vezes deixamos de estar com os outros, sejam eles da mesma geração ou de gerações diferentes.

“Devemos nutrir o nosso relacionamento com os outros e reservar um tempo para estarmos com pessoas da nossa e de outras gerações”, reforçou o Lebens

 

2 – A importância da espiritualidade ou da fé:

A fé ou a espiritualidade são pontos comuns das pessoas longevas das chamadas Zonas Azuis.

Para quem é agnóstico, uma alternativa para encontrar um propósito na vida pode ser o trabalho, ações sociais ou de voluntariado ou a descoberta de um interesse pessoal que o motiva no seu dia-a-dia.

“Trata-se realmente de ancoragem mental, disciplina e apoio social”, explicou Lebens sobre o elo comum que existe entre os longevos.

 

3 – Pessoas saudáveis e positivas nas suas relações

Cerque-se de pelo menos três amigos íntimos com uma influência positiva sobre si e que tenham bons hábitos de vida.

Estudos comprovaram que ter laços sociais fortes podem ajudar a obter mudanças positivas no coração, cérebro e até na sua imunidade, chegando mesmo a ter impacto na prevenção de doenças crônicas.

 

4 – Seja positivo:

A positividade é efetivamente outro ponto comum das pessoas longevas.

Sermos positivos ajuda ao bom funcionamento do nosso organismo e da nossa cabeça, estimulando o cérebro (a neuroplasticidade).

Como estímulo e exercício diário, Lebens sugere:

“Todas as manhãs e noites, pense em três razões pelas quais é grato.

Podem ser pequenos ou grandes motivos.

Exemplos:

- Um sorriso trocado com um amigo ou alguma pessoa importante de sua vida.

- Uma atividade que nos correu bem.

- Contactar com alguém que já não víamos há muito tempo.

- Uma boa notícia.

- Uma boa caminhada

 

5 – Tenha um propósito de vida:

Ikigai é uma palavra japonesa que significa “razão de viver”.

Os membros da comunidade Okinawa têm todos um ikigai e concentram-se para o executar todos os dias.

Exemplo:

Uma mulher vê no seu bisneto a sua força de vida, que a incentiva a viver mais e melhor para acompanhar o seu crescimento.

 

6 – Tenha um animal de estimação.

O animal de estimação é uma ótima companhia, pois desperta em nós o amor incondicional. Mas não só isso. Ter um animal torna-nos mais ativos.

Segundo estudos recentes, ter um cão diminui a obesidade, pois incentiva a fazer caminhadas e a adotar uma rotina saudável.

Já escolheu o seu animal? Veja aqui algumas sugestões de como o pode fazer.

 

7 – Faça Jardinagem

Em alguns países, a jardinagem passou a ser prescrita como uma terapia para a ansiedade e a depressão.

O contacto com a terra é um dos hobbies comuns da comunidade de longevos.

Fazer jardinagem traz benefícios à saúde física e mental, além de ser uma atividade física de baixo impacto.

Que tal começar hoje mesmo a fazer o seu próprio jardim?  

 

8 – Fazer o bem aos outros

Fazer bem por si só, é sempre bom. Faz bem a quem recebe e sem dúvida a quem o faz. Os benefícios são evidentes.

Segundo o Tim Lebens, quem faz voluntariado diminui o risco de contrair doenças cardíacas pois aumentando a satisfação com a vida, diminui o stress.

 

Aqui ficam as 8 dicas para que ao aplicá-las, consiga então entrar para a Zona Azul, assegurando uma vida longeva e com um propósito.

Vamos a isso?

Fonte: https://www.tatler.com/article/how-to-live-to-100