Cultura e Lazer | Economia da Longevidade: Sabe o que é?

Introduza o seu e-mail

Economia da Longevidade: Sabe o que é?

24/11/2020 | Sofia Alçada

Economia da Longevidade. Fonte: Unsplash Economia da Longevidade. Fonte: Unsplash

O que é a economia da longevidade?

É o conjunto de todas as atividades económicas associadas às necessidades das pessoas, com mais de 50 anos, que envolve o consumo dos bens e serviços. A divergência muitas vezes está na faixa etária considerada, podendo ser a partir dos 50 ou 60 ou mesmo dos 65 anos.

A ONU refere que haverá mais de 2 mil milhões de pessoas com 60 anos ou mais, até 2050. O que revela um crescimento impressionante, quando comparado com os números de 2015, em que esta faixa da população ascendia a cerca de 900 milhões.

Hoje, em Portugal, já existem mais pessoas com mais de 65 anos do que crianças com até cinco anos de idade. O índice de envelhecimento, segundo os dados da Pordata para 2019, é de 161,3%.

 

 

Onde temos os maiores índices de envelhecimento em Portugal?

Segundo a tabela a cima, as zonas mais envelhecidas em Portugal são assim o Alentejo e a zona centro de Portugal, segundos os dados da Portata. 

 

Economia da Longevidade como a 3ª maior atividade económica

A economia da longevidade tem vindo a ter cada vez mais peso nos últimos anos e já é a terceira maior atividade económica no mundo, movimentando o que se estima, em dólares, o valor de US$ 7,1 milhão de milhões anuais.

O aumento da esperança de vida é fruto das grandes melhorias nas condições sanitárias e de saúde cuja consequência, é o  “envelhecimento global da população”.

Hoje em dia, vivemos mais que os nossos pais ou avós, facto que tem um grande impacto na economia dos países, e que pode e deve ser vista como uma vantagem para a humanidade. Estarão as marcas a aproveitar este fenómeno?

Longevidade: Como é cada geração

Há 2 grupos a ter em conta e a acompanhar:

- Os Baby Boomers (nascidos entre 1946 e 1964).

Considerados mais idealistas e sociáveis, consumem os meios de comunicação mais tradicionais como a TV, jornal, revistas e cinema. Embora muitos deles, têm aderido ao fenómeno digital por necessidade ou mesmo por curiosidade e vontade de acompanhar as tendências.  

- A Geração X (representam os nascidos entre 1965 e o fim dos anos 1970):

Tidos como os mais materialistas e com características de maior individualismo. Ainda assim, também valorizam a vida em grupo.

São adeptos do consumo, principalmente das marcas que dão lhes “poder e status”.  Gostam de liberdade e que respeitem os seus direitos.

São também muito competitivos.

 

E são estas as duas gerações que representam hoje em dia, o que se designa a Economia da Longevidade.

Interesse no tema? Não perca os nossos podcasts relacionados com a economia da longevidade. Aconselhamos a começar pelo primeiro, onde a nossa especialista, Ana Sepulveda nos fala acerca da Economia da longevidade.