Inovação | Já sabe o que é o Chief Elder Officer? Agora veja alguns exemplos

Introduza o seu e-mail

Já sabe o que é o Chief Elder Officer? Agora veja alguns exemplos

09/11/2020 | Sílvia Triboni

Stephen Johnston, co-fundador da Aging2.0 com a Chief Elder June Fisher. Stephen Johnston, co-fundador da Aging2.0 com a Chief Elder June Fisher.

Da pesquisa realizada, identifiquei CEO’s a representarem legítima e consistentemente o encargo a que foram destinadas, e cujos depoimentos nos mostram que suas funções vão muito além do mencionado acima.

Saiba mais acerca desta nova função - Chief Elders Officers.

 

Conheça algumas Chiefs Elders Officers

Hazel McMallion, 99 anos.

Hazel McCallion.jpg

A Hazel é Chief Elder Officer da Revera, um provedor privado de acomodação, cuidados e serviços para pessoas mais velhas, com mais de 500 propriedades em todo o Canadá, EUA e Reino Unido, cuja sede é em Mississauga, Ontario, Canadá.

Hazel lidera discussões com residentes e funcionários em todas as comunidades da empresa e apresenta insights para a equipe de liderança da Revera, e para o seu Conselho de Administração, sobre como:

- enriquecer a vida dos residentes

- envolver a equipe,

- contribuir para iniciativas que desafiam o preconceito etário.

Trabalha directamente com o Senior Vice President of Innovation da Revera, Trish Barbato, e oferece suas opiniões para ajudá-los a ter sucesso nos seus papéis de líderes.

O seu papel, conforme ela mesmo explica em entrevista concedida ao Senior Living Innovation Forum, em 2019, é advogar e actuar como um canal para os residentes da Revera.

 

June M. Fisher, 87 anos.

 

June Fisher, Chief Elder Officer, Aging2.0 & Retired Physician at the d.health Summit 2017 in New York City. Photo Credit: Ron Jautz

A Dra. June Fisher é médica já reformada, ex-professora da Stanford e também ela, Chief Elder Officer no Aging 2.0.

Atua como mentora de estudantes de design na San Francisco State University e na University of California, Berkeley, e dá consultoria a startups em design e mobilidade.

Em um painel de discussão sobre envelhecimento com segurança e felicidade, a Dra. Fisher expressou sua frustração com os jovens empreendedores da área do envelhecimento que não têm contato com as necessidades de seu público-alvo.

Fico zangada com esses jovens de 20 anos que me dizem que A sua tecnologia mudará nossas vidas sendo que eles nem conhecem os nossos desejos e necessidades”, disse Fisher no Annual d.Health Summit, ocorrido em 2017, em New York City, Estados Unidos.

Em evento do Aging2.0, em San Francisco, em 9 de Setembro de 2015, Dra. June Fisher foi juíza de uma competição de pitch, e teceu comentários directos às startups interessadas em empreender na área de serviços e produtos relacionados ao envelhecimento.

Naquela oportunidade a CEO do Aging2.0 observou que a maioria dos argumentos de venda apresentados pelos empreendedores ignoraram o que este publico realmente precisa.

Este descuido leva à concepção de produtos que atendem de forma inadequada as necessidades desta população de maior idade.  De forma incisiva, a Dra. Fisher assim concluiu a sua participação: “Projete COMIGO, não PARA mim!”

 

Adequação de produtos e serviços inovadores:

Em 2018, Stephen Johnston, cofundador da Aging2.0, plataforma sediada em São Francisco e dedicada ao desenvolvimento de produtos e serviços inovadores para o mercado sénior, foi ao Brasil participar omo orador no XIII Fórum da Longevidade Bradesco Seguros.

Na sua intervençao, Stephen foi categórico ao afirmar:

A tecnologia é uma aliada na busca por um melhor envelhecimento.

Entretanto, ao destacar a importância do trabalho da Dra. June Fisher, Chief Elder Officer da Aging2.0 acrescentou:

“A tecnologia tem algumas, mas não todas as respostas. Recentemente, dei uma palestra na Google com a nossa Chief Elder Officer. Percebemos que, pelo Google Maps, não conseguíamos encontrar lugares com acessibilidade para cadeira de rodas. Seria fácil melhorar isso com a tecnologia. Gadgets e aplicativos não farão milagre se a sociedade não mudar sua visão preconceituosa do envelhecimento”, disse Johnston.

Digamos SIM ao Chief Elder Officer

Não há dúvida de que a longevidade é um dos grandes desafios do século XXI.

Jamais, em todos os tempos, tantos indivíduos poderam atingir uma idade tão avançada.

A expectativa de vida aumentou enormemente em todos os países do mundo.

Essa conjuntura transportou este segmento etário para uma relevante posição na dinâmica económica, face a sua representatividade no consumo de bens e serviços.

Posto isso, o diálogo entre empresas participantes da economia da longevidade e o público maduro torna-se imprescindível, a justificar a inserção do Chief Elder Officer na equação da oferta/procura

Portanto, digamos SIM à presença do Chief Elder Officer nas organizações.

O profissional que há de valorizar a pessoa de mais idade perante o interesse económico, e, consequentemente, toda a sociedade.