Saúde e Bem Estar | Saúde mental e a longevidade. O que nos espera?

Introduza o seu e-mail

Saúde mental e a longevidade. O que nos espera?

13/05/2020 | Sofia Alçada

Mantenha a ligação pela sua saúde mental e longevidade - Foto: Unsplash Mantenha a ligação pela sua saúde mental e longevidade - Foto: Unsplash

Segundo vários estudos e a opinião de vários especialistas, espera-se um aumento das depressões, da ansiedade ou de algum outro tipo de transtorno psiquiátrico. Dada a sua importância, este assunto começa a ser alvo de estudos para perceber os impactos que se esperam para a nossa saúde mental e longevidade.

 

Saúde mental e longevidade: Alguns estudos publicados

A psiquiatra Carol North, professora da University of Texas Southwestern, publicou um artigo acerca deste tema. Esta especialista já estudou os impactos dos grandes desastres como o 11 de Setembro e o furação Katrina nos EUA, e no entanto refere que o impacto do Covid19 ainda nos trás muitas incertezas.

Carol North é então uma das autoras do artigo publicado na revista científica “New England Journal of Medicine”, intitulado Mental Health and the Covid-19 Pandemic.

Neste artigo a psiquiatra refere que “a maioria da população experimentará algum grau de angústia e sofrimento, havendo grupos que serão mais afetados que outros.

Quais os grupos de pessoas com maior probabilidade de sofrer algum impacto na sua saúde mental?

- os que já contraíram a doença;

- os que pertencem a categorias de risco, como os mais velhos;

- os que já tem problemas psiquiátricos ou de abuso de substâncias

- os profissionais de saúde devido ao risco de exposição e à carga emocional a que se submetem.

Um dos problemas também apontados para além da eventual falta de recursos para tratar os pacientes e da incerteza nos diagnósticos, poderá estar associada às questões financeiras.

A perda de emprego, a precariedade dos postos de trabalho, a redução dos ordenados poderão colocar em standby a procura de especialistas nestas áreas de saúde mental, mesmo fazendo parte dos grupos assinalados como de risco. 

O que fazer para combater os efeitos do Covid19 na nossa saude mental?

A psiquiatra refere então que durante a pandemia, é fundamental que se possa:

- Manter o contato com as pessoas próximas,

- Manter uma rotina diária 

- Falar dos receios e medos associados a esta fase.

A incerteza e a gravidade deste surto provoca o aumento do stress que é alias apontado como um dos elementos a controlar para o combate da doença por alguns especialistas.

Outra fonte que aponta soluções para combate dos impactos na saude mental:

Na mesma linha de pensamento, outra revista da área da psiquiatria, “The Lancet Psychiatry” refere num artigo de vários autores as prioridades que permitem assegurar a saúde mental durante a pandemia.

São elas:

- Monitorar as condições psíquicas das pessoas para determinar que tipo de suporte será necessário

- Fazer uma intervenção o mais cedo possível.

Pois segundo este artigo que cita como possíveis resultados, nesta fase de isolamento e solidão, o já referido aumento da ansiedade e de depressão, adicionando outras possíveis consequências como a automutilação e até mesmo o suicídio.

O tratamento é semelhante. Para o combate a este distanciamento social, o estudo refere que as pessoas deverão recorrer ao que chamam as “fontes de resiliência” que são sem dúvida, os contactos com os amigos e familiares.

Como ter boas práticas para um maior longevidade?

Portanto, em termos de boas praticas, podemos mencionar:

- manter as rotinas,

- fazer coisas que nos deem prazer,

- falar com as pessoas mesmo que por telefone ou videochamada,

- dizer o que nos preocupa.

Estas pequenas rotinas ajudarão seguramente a melhorar a nossa capacidade de enfrentar da melhor forma esta fase do Covid19 e da necessidade de estarmos em maior recolhimento.

Pense na importância de manter a sua saúde mental e a sua longevidade. Para isso, mantenha-se em ligação e em contacto com quem é importante para si!

Veja aqui mais algumas dicas.