Saúde e Bem Estar | O aumento da nossa longevidade: O que nos espera

Introduza o seu e-mail

O aumento da nossa longevidade: O que nos espera

06/05/2020 | Sofia Alçada

A inovação e o aumento da nossa longevidade Foto: Unsplash A inovação e o aumento da nossa longevidade Foto: Unsplash

Muito do aumento da nossa longevidade se deve a investigação e aos avanços da medicina e da tecnologia, isso não há dúvida. Mas mais que anos de vida, queremos ter qualidade de vida para esses anos.

Vejamos aqui alguns exemplos do que está a ser feito nesse campo.

Avanços do lado da tecnologia com impacto na saúde:

Impressão de órgãos:

Para isso, contribuem uma serie de novas descobertas e inovações, como por exemplo, a impressão de órgãos.

Atualmente podemos já imprimir uma laringe, vasos sanguíneos, que são facilmente obtidos numa impressora 3D. A boa notícia é que, quando colocados num paciente, estes órgãos não apresentam qualquer rejeição por parte do corpo humano. E assim, prevê-se que por volta do ano de 2023, ou seja daqui a apenas 3 anos, órgãos de maior complexidade possam ter o mesmo resultado começando progressivamente a estar disponíveis massivamente para quem deles necessitar.

Comunicação entre células no tratamento do cancro:

Outra área importante, em que já existem empresas a trabalhar é na área da comunicação entre células, nomeadamente as chamadas células tronco.

Este tratamento poderá ter um grande impacto no tratamento e na prevenção do cancro uma da maiores incidências em termos de doenças que temos na atualidade, e que impede senão a nossa longevidade pelo menos a qualidade desta.

Foram já realizados testes, num paciente com cancro no pâncreas, que é um dos que tem maior probabilidade de mortalidade chegando praticamente aos 99%, que com 3 aplicações do tratamento, o paciente mostrou sinais de cura.

Este tratamento, uso de células tronco, está a ser utilizado para tratar células defeituosas no corpo, o que poderá permitir um aumento da longevidade até 40%.  

Leia também: Melhores hábitos e fármacos clareiam “nuvens” no cancro

Em concusão, muito está a ser feito e muito ainda, estará para ser inventado. As doenças atuais tem muito a ver com o ritmo de vida e o stress é verdade, mas muito também se deve ao aumento do número de anos de vida, a chamada longevidade.

Assim, se pensarmos que na maioria da vida do ser humano até aos dias de hoje, a esperança de vida media não ia além dos 25 a 30 anos, percebemos o grande impacto que a simples descoberta do um antibiótico ou de vacinas preventivas têm provocado na nossa longevidade.

Será então fácil perceber, o que nos pode esperar ainda aumentar com os avanços da ciência e da tecnologia citados, e os muitos em testes e/ou a espera de ser validados.

Estaremos com certeza a escrever um novo padrão de longevidade. E que, mais do que muitos anos de vida, essa vida possa ser bem vivida, com qualidade, saúde e serenidade que os anos merecem ser vividos.

 

 Fonte: Jornal de Brasília